Tratamentos

A SER é especializada no cuidado às pessoas com Transtornos Mentais e do Comportamento.

Todos nós apresentamos alguns comportamentos “diferentes” uma vez ou outra. Somos normalmente cheios de estados emocionais variados, de mudanças e crises. Todos nós temos alguns medos sem sentido, algumas ideias intrusas em nossa consciência e estados de ansiedade mais intensos.

O que caracteriza um estado como patológico é quando essas situações dominam nossa vida mental, quando o sofrimento (ansiedade, raiva, tristeza, desânimo etc.) passa a ocupar tudo em nossas vidas e nos impedem de estar e viver novas e outras experiências.

O sofrimento pode ser silencioso, mas é mais comum do que imaginamos – e não tem nada de “louco” em relação a isso; afinal, doenças mentais são doenças que, como quaisquer outras, podem ser tratadas e controladas.

Nessas situações é necessário ajuda e a SER está preparada para atender e cuidar sempre que você precisar.

Esquizofrenia e outros Transtornos Psicóticos

Esquizofrenia e outros Transtornos Psicóticos caracterizam um conjunto heterogêneo de episódios entendidos como desorganização de ações consideradas comuns à maioria dos sujeitos. Ideias delirantes, alucinações, inclinação afetiva diferencial, percepções diversas, transitórias ou persistentes, caracterizam denominações para esses episódios. Geralmente, continuam organizadas capacidades cognitivas como inteligência, memória, atenção e uso da linguagem. Guardadas as devidas especificidades, os referidos episódios não possuem etiologia orgânica e convocam profissionais a constantes rearranjos metodológicos. O delírio encerra alguma significação, por isso, a maneira que se apresenta e o seu conteúdo dependem da construção singular de cada sujeito.


Paul Klee, xplosion de peur III (1939)

Transtorno Bipolar e outros Transtornos Relacionados

Transtorno Bipolar e outros Transtornos Relacionados caracterizam alterações de humor entre episódios melancólicos, também denominados depressivos, e episódios eufóricos, também denominados maníacos. Alterações acompanhadas de modificações comportamentais diversas, geralmente recorrentes, cujos episódios alternam-se de acordo com vivências angustiantes. Na melancolia, o sujeito apresenta rebaixamento do humor, redução da energia, desinteresse geral, diminuição do apetite, problemas associados ao sono, ideias de insegurança, culpabilidade e de cunho punitivo. Na euforia, o sujeito apresenta elevação do humor, aumento excessivo da energia, pressão por falar, redução da necessidade de sono, ideias pretensiosas de intenso bem-estar, segurança e eficácia. Para delimitar alguma hipótese diagnóstica, é fundamental avaliar como o sujeito lida com a referida alteração, como ele a insere em seu momento de vida. Tristeza, alegria, inquietações, medo ocorrem em consequência da nossa experiência humana, podem aparecer mais exacerbadas ou menos evidentes, com papel importante para a nossa constituição. Através de tratamento, o sujeito pode identificar suas limitações e dificuldades a fim de encontrar saídas para os diversos momentos.    


Paul Klee, Nocturnal Festivity (1921)

Transtornos Depressivos

Transtornos Depressivos caracterizam melancolia persistente, com início em qualquer idade, e implica humor rebaixado, anedonia, fadiga excessiva, incapacidade de realizar escolhas, prejuízo mnêmico, retraimento geral, choro recorrente, regressão psicomotora, ideias constantes de morte, autodesprezo, culpabilidade e queixas de cunho somático, principalmente dores multilocalizadas sem causa orgânica.


Paul Klee, Senecio (1922)

Transtornos de Ansiedade

Transtornos de Ansiedade se caracterizam por um determinado afeto referido, pelos sujeitos, como mal-estar, tensão indefinida, hiperatividade desagradável, distração constante, sensação de perigo iminente, necessidade incontrolável de esquiva, inquietação de difícil denominação. Esse afeto aparece acompanhado por variadas queixas de cunho somático, geralmente designadas como taquicardia, sudorese, taquipneia, midríase, movimentos peristálticos automáticos, tremores, contraturas, parestesia, calafrios, adormecimentos, sensação de sufocamento.


Paul Klee, Insula Dulcamara (1938)

 

Transtornos Obsessivo-Compulsivo e Transtornos Relacionados

Transtornos Obsessivo-Compulsivo e Transtornos Relacionados caracterizam um conjunto de ideias obsessivas e ações ritualizadas compulsivas, estereotipadas, insistentes e aparentemente involuntárias. Há uma tendência ao perfeccionismo, escrupulosidade, verificações, preocupação com pormenores, obstinação, prudência e rigidez. O sujeito reconhece que se trata de suas próprias ideias e ações, mas as considera estranhas e desprazerosas. Essas ideias levam a ações julgadas como inúteis, com a finalidade de prevenir algum acontecimento hipotético capaz de causar algum dano ao sujeito ou salvar outrem de um dano causado por ele próprio. Ao reconhecê-las, o sujeito esforça-se para contê-las, sem sucesso, momento em que a angústia irrompe. Pelo predomínio da angústia, surgem dúvidas e hesitações intermináveis, resultando em incapacidade para decisões e/ou, após qualquer deliberação, extrema culpa, inclinação excessiva à ordem, à punição e à busca por refazer ações, por tentar deliberar novamente, de modo repetitivo.


Paul Klee, Chemin principal et chemins latéraux (1929)

Traumas e Transtornos Relacionados ao Estresse

Traumas e Transtornos Relacionados ao Estresse caracterizam problemas resultantes de situações particularmente consideradas “estressantes” para um sujeito, com consequências constitutivas e adaptativas. Essas situações, em si mesmas, não determinam explicações etiológicas e a natureza das consequências. O tratamento para tais problemas depende de fatores singulares, depreendidos caso a caso. Sem um tempo pré-determinável, após um mesmo fato, pode haver consequências antagônicas – um sujeito pode apresentar inibição e medo, enquanto um outro pode apresentar ações violentas e exposição exagerada.


Paul Klee, Castle and Sun (1928)

Transtornos Dissociativos

Transtornos Dissociativos caracterizam perdas de funções cognitivas, principalmente consciência e memória, de funções sensórias e de controle corporal. Geralmente desencadeados por algum acontecimento traumático, esses transtornos tendem a desaparecer após algumas semanas. Mas, se persistirem, acompanham tendência à dramatização e a deixar-se persuadir, e indicam sintomas insolúveis, podendo ocasionar problemas crônicos, especialmente afonias, paralisias e catatonias, denominados “histeria de conversão”. Imperceptíveis a exames médicos, esses transtornos desafiam possíveis tratamentos, destacando conflitos psíquicos com consequências orgânicas.
 


Paul Klee, Veste Rouge (1938)

Sintomas Somáticos e Transtornos Relacionados

Sintomas Somáticos e Transtornos Relacionados caracterizam múltiplos sintomas físicos acompanhados de afetividade superficial e lábil, teatralidade, expressão exagerada das emoções, egocentrismo, autocomplacência, desejo permanente de deixar-se apreciar, de constituir-se objeto de atenção e tendência a se queixar facilmente. Esses sintomas são entendidos pelo sujeito como passíveis de algum tipo de assistência médica. Ele busca essa assistência de modo recorrente, apesar de os médicos nada encontrarem em todo tipo de exames. Sem fundamentação orgânica, não há explicações previamente conhecidas para os sintomas nem para o modo como o sujeito percebe-os. Geralmente, o sujeito conta com histórias envolvendo inúmeras investigações clínicas e tratamentos, mas sem resposta satisfatória. Diante de indicação para tratamento psicológico, o sujeito apresenta resistência e recusa, tendendo a trocar de médico constantemente.  


Paul Klee, Mort et Feu (1940)

Transtornos Alimentares e Alimentação

Transtornos Alimentares e Alimentação caracterizam problemas na constituição da imagem corporal do sujeito, que ocasionam preocupações excessivas com a forma e com o peso. Essas preocupações resultam em sintomatologias compulsivas específicas, como obesidade não orgânica, restrição e recusa de alimentação acompanhada por medos singulares, no caso da anorexia, ou um aumento desmedido do apetite que leva à ingestão exagerada de alimentos seguida de vômitos, uso de laxantes e/ou diuréticos, no caso da bulimia, ou, ainda, a prática exaustiva e desmedida de exercícios físicos, no caso da vigorexia.


Paul Klee, Die Heilige vom innern Licht (The Saint of Inner Light) (1921)

Transtornos do Sono e Vigília

Transtornos do Sono e Vigília caracterizam problemas persistentes envolvendo diversas dificuldades, principalmente de iniciar o sono, mantê-lo e de despertar, para as quais o tratamento medicamentoso não é suficiente. Na insônia, a quantidade e a qualidade do sono não são satisfatórias, a falta de sono persiste por um período prolongado. Na hipersonia, ocorre sonolência excessiva quando o sujeito está em vigília, bem como episódios de adormecimento repentino, não causados por quantidade inadequada de sono. No sonambulismo, o sujeito deambula em estado de sono, relatando que nada lembra e, por vezes, considerando parte de uma criação onírica. Terrores noturnos e pesadelos correspondem experiências de sonhos angustiantes e amedrontadores, com a diferença de que nos terrores noturnos há agitação psicomotora, vocalizações e ausência de lembranças ou lembranças fragmentárias sobre, enquanto que nos pesadelos não há atividade psicomotora, vocalizações, mas há lembranças detalhadas do conteúdo sonhado, que se repetem e estão atreladas, predominantemente, a ameaças existenciais. Os Transtornos do Sono e Vigília aparecem comumente em queixas que podem indicar outros transtornos associados, psíquicos e/ou orgânicos. O diagnóstico ocorre no caso a caso, assim como possibilidades de tratamento.


Paul Klee, Fish Magic (1925) 

 

Transtornos de Personalidade e do Impulso

Transtornos de Personalidade e do Impulso caracterizam variados comportamentos persistentes que dizem respeito ao estilo de um sujeito estabelecer relações consigo e com os outros. Percebidos na infância ou na fase adulta, esses comportamentos tensionam percepções, ideias, sensações comumente consideradas corriqueiras para uma determinada cultura. Diante de um estilo particular para estabelecer relações, quem convive com o sujeito em questão relata angústia extrema e intenso sofrimento devido à busca por novas configurações de convivência. Não demonstráveis em exames médicos anatômicos, esses transtornos também convocam profissionais a constantes rearranjos. Esses transtornos abrangem a personalidade paranoica, em que há uma tendência demasiada à desconfiança resultando em sensação constante de perseguição; a personalidade dissocial, em que há embate com normas sociais resultando em baixa tolerância à frustração e numa tendência obstinada a racionalizações para explicar o referido embate; e a personalidade borderline, em que há uma tendência a ações impulsivas e imprevisíveis, com perturbações da imagem corporal que se estendem à sensação de vacuidade, comportamentos autodestrutivos, mutilações e relações intensas e instáveis. 


Paul Klee, Kopf mit deutscher Bartracht (1894-1922)

Uso de Substâncias Psicoativas: Álcool e Outras Substâncias

Uso de Substâncias Psicoativas: Álcool e Outras Substâncias caracterizam numerosos transtornos que têm em comum o fato de ocasionarem dependência e intoxicações, e se diferenciam pela sintomatologia. O sujeito não consegue manter sua rotina social comum e queixa-se de episódios melancólicos, perturbações psíquicas, afetivas, fisiológicas e cognitivas, especialmente percepção, memória e atenção. Essas perturbações aparecem devido a efeitos das substâncias em questão e podem desaparecer quando o uso for interrompido, exceto nos casos em que se cronificam lesões orgânicas.


Paul Klee, Forest Witches (1938) 

Disfunções Sexuais

Disfunções Sexuais caracterizam problematizações em torno de insatisfações genitais. O sujeito percebe-se incapaz de praticar uma relação genital como imagina e idealiza. As causas dessas disfunções perpassam investigações psíquicas e orgânicas que orientam possíveis tratamentos. Queixas como medo, angústia, inclinação sexual excessiva, prazer considerado inapropriado e/ou insatisfatório, perda do desejo sexual, aversão sexual, ausência de prazer, falhas nas respostas genitais, não são secundários a algum outro transtorno, mas, sim, aparecem como problemas principais para o sujeito em questão.


Paul Klee, Le Cirque Ambulant (1940) 

E Demais Transtornos Mentais e do Comportamento

Demais Transtornos Mentais e do Comportamento caracterizam transtornos excluídos das outras categorias de transtornos, indicando exceções. Quando o sujeito apresenta sintomas em que não se justificam os diagnósticos já estabelecidos, lembra-nos das variações culturais que são determinantes para a constituição psíquica e para os consequentes desenvolvimentos orgânicos. Portanto, escutar um sujeito de modo singular e inclui-lo em sua própria queixa, é primordial para sugerir diagnósticos e indicar possíveis tratamentos.


Paul Klee, L'homme est la bouche du seigneur (1918)

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK