Grupos

A SER busca incansavelmente o cuidado em Saúde Mental. Assim, por meio de planos terapêuticos específicos são propostos Grupos Terapêuticos, de acordo com a demanda apresentada por cada pessoa. 

Paul Klee, Carnaval nas Montanhas (1924)

O ser humano é um ser gregário por natureza, ele somente existe, ou subsiste, em função de seus relacionamentos grupais que se estabelecem desde os primórdios da vida. O sujeito busca sua identidade singular, mas também identidade grupal e social. Um conjunto de pessoas constitui um grupo, o que concerne importância e justifica a utilização desta abordagem em saúde mental.

A SER oferece atividades que são desenvolvidas em diversos grupos terapêuticos de acordo com os cuidados necessários, estes são coordenados por profissionais e objetivam reflexões acerca das demandas de cada pessoa, criando uma rede de apoio e de compartilhamento de experiência entre os participantes.

A metodologia utilizada consiste em promover a livre circulação discursiva através do uso de materiais artísticos e lúdicos (músicas, jornais, revistas, lápis de cor, tintas, argila), recursos corporais (dança, gestos, postura, movimento, expressões faciais), recursos audiovisuais (animação, filmes, curta-metragem, imagens, cinema), trocas dialógicas, compartilhamento de experiências, questionamentos e amaragens elaboradas capazes de oportunizar construções simbólicas e reelaborações constantes. 

Os Grupos Terapêuticos viabilizam intervenções potencialmente capazes de manter em movimento arranjos e rearranjos de possibilidades para lidar com o sofrimento concernente a cada pessoa.  Essas intervenções acontecem de acordo com os seguintes Grupos Terapêuticos:

Grupo de cuidado à pessoa esquizofrênica e demais psicoses

Psicose se caracteriza por uma desorganização ampla de processos psíquicos. É um quadro complexo apresentando sinais e sintomas na área do pensamento, percepção e afeto, causando prejuízos ocupacionais em relações interpessoais e familiares. A pessoa perde o sentido de realidade e torna-se incapaz de distinguir a experiência real da imaginária. Neste grupo, os participantes buscam usar a linguagem livremente a fim de viabilizar produções psíquicas e reconhecer a função e o lugar de construções delirantes no tratamento de cada um. 

Grupos de cuidado especializado ao idoso em sofrimento mental – A escuta, a expressão, o movimento o sentir

Trata-se de um grupo específico para pessoas idosas, ou seja, acima dos 60 anos, conforme a Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994, e tem como objetivo primordial tratar de questões referentes ao processo de envelhecimento, adoecimento, relacionamento familiar e afetivo, endividamento, sexualidade e cuidado de si.

Grupo de cuidado às pessoas com bulimia, anorexia e transtornos alimentares associados

Aborda os transtornos alimentares que se caracterizam por problemas na constituição da imagem corporal, que ocasionam preocupações excessivas com a forma e com o peso. Essas preocupações resultam em sintomas compulsivos específicos. Nesse contexto, este Grupo Terapêutico tem por característica auxiliar cada pessoa na escuta de si e do outro, percebendo e aprendendo a lidar com os referidos transtornos. 

Grupo de cuidado ao sofrimento intenso e prevenção ao suicídio

O suicídio diz respeito a uma passagem ao ato no sentido de matar a si próprio. Geralmente associado a algum transtorno psíquico, como depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia, alcoolismo e abuso de drogas, dificuldades financeiras e/ou afetivas também desempenham um fator significativo. Este grupo tem como objetivo principal tratar de questões relacionadas a tentativas de suicídio e modos de prevenção, convocando cada pessoa a reflexões diante da vida, do viver, da morte e do morrer. 

Grupo de cuidado às pessoas com transtornos de humor

Transtornos do humor são aqueles nos quais o sintoma central é a alteração do humor implicada com questões afetivas. Compromete diversas áreas da vida da pessoa, como profissional e familiar. Trata-se de um grupo que trabalha questões relacionadas à referida alteração, modos de lidar com a sintomatologia e demais fatores singulares que acometem a pessoa. 

Grupo de cuidado às pessoas com transtornos de ansiedade

Estes transtornos têm como manifestação principal um alto nível de ansiedade, um estado constante de apreensão, uma expectativa de que algo ruim aconteça, acompanhado por várias reações físicas e psíquicas desconfortáveis. Em Grupo Terapêutico, oportuniza-se a cada pessoa trabalhar com questões implicadas nessa manifestação, em que o verbalizar e o compartilhar experiências são fundamentais para auxiliar cada um a lidar com as dificuldades apresentadas.

Grupo de cuidado às pessoas em uso de substâncias psicoativas, drogas e outras substâncias

Drogas psicoativas, substâncias psicotrópicas, drogas psicotrópicas ou simplesmente psicotrópicos são substâncias químicas que agem principalmente no sistema nervoso central e alteram a função cerebral, temporariamente modificam a percepção, o humor, o comportamento e a consciência. O grupo tem como objetivo tratar questões relacionadas ao uso, a prevenção, dificuldades, perdas e estratégias para lidar com o sofrimento decorrente de tal uso. 

Grupo de cuidado às pessoas em uso de substâncias psicoativas: álcool

A dependência de álcool (alcoolismo) consiste numa doença crônica e multifatorial. Isto significa que diversos fatores contribuem para o seu desenvolvimento, incluindo a quantidade e frequência de uso do álcool, a condição de saúde da pessoa e fatores genéticos, psicossociais e ambientais. Neste grupo, cada pessoa trata de questões da dependência, formas de enfrentar recaídas, a prevenção, relacionamento familiar, perdas, representação do uso do álcool em suas vidas. 

Grupo de cuidado às pessoas com transtornos de personalidade e do impulso

Transtornos de Personalidade e do Impulso caracterizam por variados comportamentos persistentes que dizem respeito ao estilo de um sujeito estabelecer relações consigo e com os outros. Os sintomas não são demonstráveis em exames médicos anatômicos. Esses transtornos abrangem a personalidade paranoica, em que há uma tendência demasiada à desconfiança resultando em sensação constante de perseguição; a personalidade dissocial, em que há embate com normas sociais resultando em baixa tolerância à frustração e numa tendência obstinada a racionalizações para explicar o referido embate; e a personalidade borderline, em que há uma tendência a ações impulsivas e imprevisíveis, com perturbações da imagem corporal que se estendem à sensação de vacuidade, comportamentos autodestrutivos, mutilações e relações intensas e instáveis. Este grupo discute questionamentos e dificuldades relacionadas a este transtorno.

Grupo de cuidado e atenção ao sono e vigília

Transtornos do Sono e Vigília caracteriza-se por problemas persistentes envolvendo diversas dificuldades, principalmente de iniciar o sono, mantê-lo e de despertar, para as quais o tratamento medicamentoso não é suficiente. Na insônia, a quantidade e a qualidade do sono não são satisfatórias, a falta de sono persiste por um período prolongado. Na hipersonia, ocorre sonolência excessiva quando o sujeito está em vigília, bem como episódios de adormecimento repentino, não causados por quantidade inadequada de sono. No sonambulismo, o sujeito deambula em estado de sono, relatando que nada lembra e, por vezes, considerando parte de uma criação onírica. Terrores noturnos e pesadelos correspondem experiências de sonhos angustiantes e amedrontadores, com a diferença de que nos terrores noturnos há agitação psicomotora, vocalizações e ausência de lembranças ou lembranças fragmentárias sobre, enquanto que nos pesadelos não há atividade psicomotora, vocalizações, mas há lembranças detalhadas do conteúdo sonhado, que se repetem e estão atreladas, predominantemente, a ameaças existenciais. Os Transtornos do Sono e Vigília aparecem comumente em queixas que podem indicar outros transtornos associados, psíquicos e/ou orgânicos. O grupo discute questões relacionadas à qualidade do processo de sono, qual a representação do sono e dos sonhos, as técnicas usadas para dormir, os rituais do sono, tipo de sono, condições e quais as dificuldades encontradas para um sono adequado e tipos de sonhos.

Grupo de cuidado e atenção à automutilação

A automutilação é definida como qualquer comportamento intencional envolvendo agressão direta ao próprio corpo sem intenção consciente de passar ao ato de suicídio. Esse comportamento tem, geralmente, como intenção o alívio de dores afetivas. O grupo tem como objetivo trabalhar com as questões envolvendo imagem corporal, constituição de limites, tratar do autocuidado e discutir sobre a automutilação e suas representações.

Grupo de cuidado ao adoecimento relacionado ao gênero feminino

Este grupo é direcionado exclusivamente ao público feminino e tem como cerne tratar de questões do universo das mulheres, tais como sexualidade, relações de gênero, maternidade, sofrimento mental, climatério, menopausa, envelhecimento e adoecimento mental.

Grupo de cuidado ao adoecimento relacionado ao gênero masculino

Este grupo é direcionado exclusivamente ao público masculino e tem como cerne tratar de questões do universo dos homens, tais como sexualidade, relações de gênero, paternidade, doenças mentais, violência e adoecimento mental.

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK